top of page
  • Foto do escritorkambo Portugal

Estudos científicos sobre o Kambo

Atualizado: 7 de mar. de 2019

Pesquisas científicas internacionais, nas áreas química e farmacêuticas, são realizadas sobre as propriedades do Kambo desde a década de 80. Estas revelaram que a secreção desta rã contém uma série de substâncias altamente eficazes, sendo as principais a dermorfina e a deltorfina, pertencentes ao grupo das peptides. As substâncias desta secreção possuem propriedades antibióticas, analgésicas e de fortalecimento do sistema imunológico que provocam a destruição de microrganismos patogénicos através da produção de anticorpos pelo organismo equivalente a uma reacção a um ataque super poderoso de qualquer doença, e ainda revelaram grande poder no tratamento do mal de Parkinson, SIDA, câncer, depressão (e as suas consequências), ansiedade, insónia, irritação, insegurança, nervosismo, medo, stress, fadiga, sistema nervoso abalado, esgotamento físico, mental, emocional.

Nomeado Prémio Nobel Vittorio Erspamer da Universidade de Roma,

Nomeado para o Prémio Nobel, o cientista italiano Vittorio Erspamer da Universidade de Roma, escreveu que a secreção contém um "cocktail bioquímico fantástico, com possíveis aplicações médicas inigualável por qualquer outro anfíbio '. "Entre as várias dezenas de peptides encontrados na Kambo, cerca de 7% são bio-activos".

Alguns dos peptides encontrados em estudos sobre o Kambo são:

Dermorfina: produzido hoje sinteticamente por empresas farmacêuticas. A droga tem mostrado bons resultados para:

Dor e inflamação em geral, como músculo, coluna vertebral, ciática, osteoarthritis, artrite, tendinitis, enxaqueca e outros.

Fadiga , dores de cabeça crónica, asma, bronquite, rinite, sinusite, acne, alergias, gastrite, úlceras, diabetes, hipertensão, obesidade, problemas de circulação, formigueiro, retenção de líquidos, colesterol, doenças do coração, hepatite, cirrose, malária (aguda) e após a malária, labirintite, epilepsia, síndrome pré-menstrual, irregularidades menstruais, infertilidade, impotência, diminuição da libido, a depressão e as suas consequências, ansiedade, insônia, irritação, insegurança, medo, stress, distúrbios do sistema nervoso, exaustão física, mental e emocional, desintoxicação do corpo, vício e tabagismo, entre outras doenças.

Deltorfina: agonista do receptor opióide delta muito poderosa . Dermorfina e deltorfina são 4000 vezes mais forte que a morfina e 40 vezes mais forte do que b-endorfinas endógenas.

Adenoregulin: Na década de 1990 este novo peptide foi descoberto pela equipe de John Daly no Instituto Nacional de Saúde em os EUA. Ele funciona no corpo humano através de receptores de adenosina, um componente-chave em todas as células energéticos humanos. Estes receptores podem proporcionar uma opção para o tratamento da depressão, apoplexia e doenças de deficiência cognitiva tal como a doença de Alzheimer.

Phyllomedusin: taquiquinina que afeta as glândulas salivares, canais lacrimais e intestinos. Contrai os músculos lisos e contribui para a purga de profundidade.

Phyllokinin: dilatador potente de vasos sanguíneos também aumenta a permeabilidade da barreira sangue-cérebro.

Phyllocaerulein: Ele estimula a glândula pituitaria e o córtex adrenal, provoca uma queda da pressão arterial, causa taquicardia, tem uma poderosa ação sobre o músculo liso gastrointestinal, estimulando secreções pancreáticas, gástrica, e biliar.

Sauvagine: estimula o córtex adrenal, provocando uma queda da pressão sanguínea a longo prazo e provoca taquicardia.

Dermasseptina: poderoso antimicrobiano para bactérias Gram-positivos e Gram-negativos, e antiviral para o herpes.


446 visualizações0 comentário

댓글


bottom of page